No Brasil, cerca de 30% dos óbitos ocorrem por doenças cardiovasculares, o que dá uma média de 40 mortes a cada hora. O infarto, também conhecido como ataque cardíaco, e o AVC lideram esse terrível ranking.

De modo geral, o infarto ocorre quando há um entupimento da circulação sanguínea até o coração. Entretanto, nem sempre os sintomas da doença são claros e muitas vezes passam despercebidos pela maioria das pessoas, sendo muitas vezes confundidos com uma dormência ou azia.

Pior, metade das pessoas que sofrem um infarto morre antes de ser atendida em um hospital. Mas calma que há formas de prevenção. Saiba como identificar e prevenir um infarto!

Afinal, o que é Infarto?

Normalmente, o ataque cardíaco é ocasionado pelo acúmulo de placas de gordura que se acumulam no interior de artérias coronarianas. Essas placas podem se romper, provocando a obstrução da artéria por meio de coágulos, impedindo a passagem do fluxo sanguíneo.

Esse acúmulo de placas de gordura, também conhecido como aterosclerose, não apresenta sintomas até que haja a sua ruptura ou quando o acúmulo é suficientemente grande para dificultar a passagem do sangue. Nos casos em que essa obstrução é superior a 70%, é comum o paciente sentir dor no peito ao realizar esforços físicos, conhecido como angina.

Entretanto, há casos em que pequenas placas de aterosclerose, com impedimento apenas 20% a 30% do fluxo, acabaram se rompendo, mesmo sendo assintomáticas. Ou seja, é possível que pessoas que não sintam nada ao praticar atividades físicas sofram um infarto. Daí, a importância de um check-up com um Cardiologista pelo menos uma vez ao ano.

O que pode ocasionar um infarto?

O ataque cardíaco não é só causado pelo acúmulo de gordura nas artérias, mas também pode ocorrer por espasmos capazes de interromper o fluxo sanguíneo momentaneamente. O uso de entorpecentes, como a cocaína, pode ocasionar esses espasmos.

Além do mais, podem ocorrer rupturas nas artérias e entupimentos causados por coágulos provenientes de outras partes do corpo, acarretando em um infarto. Uma queda brusca da pressão arterial também pode diminuir o fluxo sanguíneo e lesionar o músculo cardíaco.

Quais são os fatores de risco?

Embora não seja possível prever se ou quando uma pessoa terá infarto, alguns grupos estão mais propensos a desenvolver a doença, como homens acima dos 45 anos e mulheres com 55 anos ou mais. Mas há outros fatores, veja os principais:

  • tabagismo;
  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • hipertensão;
  • diabetes;
  • colesterol elevado;
  • estresse;
  • alcoolismo;
  • consumo de entorpecentes;
  • histórico familiar de infarto.

cta_marque_uma_consulta

Quais são os sintomas de um ataque cardíaco?

Infelizmente, cerca de 50% a 60% dos casos de infarto ocorrem em pessoas que não apresentaram nenhum sintoma. Mas, de modo geral, o sintoma mais recorrente da doença é uma dor aguda no meio do peito, que tende a espalhar para o braço esquerdo. Normalmente, seguem-se outros sintomas, como:

  • sudorese;
  • palpitações;
  • falta de ar;
  • náusea ou vômitos;
  • fraqueza intensa;
  • ansiedade;
  • desmaio, tontura ou vertigem.

É preciso ficar atenta ainda para o fato de que mulheres afirmam terem outros sintomas antes de um ataque cardíaco como queixas de queimação ou agulhadas no peito. É comum ainda que sintam falta de ar sem dor.

Entretanto, é importante alertar para o fato de que nem todo mundo apresenta os mesmos sintomas, por isso, em caso de dores intensas acompanhadas de outros sintomas por mais de 20 minutos, o ideal é procurar um atendimento médico prontamente.

O ataque cardíaco pode acontecer a qualquer momento e, na maioria das vezes, origina-se de um mal-estar súbito. Mas a casos em que os pacientes levam horas e até mesmo dias para procurar ajuda médica. Normalmente, só após perceberem uma piora significativa do quadro. Nesses casos, os danos podem ser maiores.

Como busco ajuda médica para um infarto?

Persistindo os sintomas por mais de 20 minutos, é de suma importância que se procure um atendimento médico nas proximidades. Infelizmente, o diagnóstico da doença geralmente é feito numa emergência e não em uma consulta de rotina.

No hospital ou pronto-socorro, irão aferir a sua pressão arterial, temperatura e pulso, e logo em seguida a levarão para realizar exames cardíacos que confirmem o problema. Se você estiver consciente, é importante falar sobre o seu histórico de saúde e familiar de doença cardíaca.

Como prevenir um infarto?

Primeiramente, vamos deixar claro que medicamentos só devem ser administrados com prescrição médica. Somente o seu Cardiologista poderá determinar se e quais remédios poderão minimizar seus riscos de infarto caso você pertença ao grupo de risco.

Em segundo lugar, a melhor forma de se prevenir de um ataque cardíaco é mantendo hábitos de vida mais saudáveis como praticar atividades físicas regularmente, evitar o consumo de drogas, ter uma alimentação balanceada, controlar o diabetes e a pressão arterial. Além do mais, marque consultas regulares ao seu Cardiologista e mantenha seus exames de rotina em dia.

Quer aproveitar e garantir que vai tudo bem com o seu coração? Marque uma consulta agora, esclareça suas dúvidas e fique de “peito aberto” para aproveitar os melhores momentos da vida ao lado de quem você ama.

Até a próxima!
Equipe Médica Rede VIK

 

Whatsapp
Olá 👋
Podemos te ajudar?