Ter um corpo em forma, repleto de curvas ou músculos definidos é o sonho de muita gente. Mas conquistar o peso ideal não é tão fácil quanto parece. Muitas vezes, mudar os hábitos alimentares e sair do sedentarismo não é suficiente. Segundo levantamento do Ministério da Saúde, uma em cada cinco pessoas no país está acima do peso.

Para auxiliar no emagrecimento, muitas pessoas têm recorrido à ajuda de um Médico Endocrinologista. Afinal de contas, os distúrbios hormonais, tratados por esse especialista, estão entre as principais causas do excesso de peso.

Quer entender melhor como o Endocrinologista pode te ajudar a emagrecer? Confira a seguir!

O que um Endocrinologista pode fazer por você?

Se você iniciou uma reeducação alimentar e está praticando atividades físicas regularmente, mas mesmo assim não consegue perder aqueles incômodos quilinhos, é hora de marcar uma consulta com o Endocrinologista.

Na primeira consulta, o especialista solicitará uma série de exames para verificar se não há alguma alteração hormonal que esteja atrasando o seu emagrecimento. Abaixo, listamos 7 sabotadores do seu projeto “corpo sarado” que só o Endocrinologista pode combater:

Eliminar os quilinhos extras

Os hormônios triiodotironina e tiroxina, mais conhecidos como T3 e T4, produzidos pela tireoide, são os responsáveis pelo metabolismo do corpo. A produção excessiva ou insuficiente de hormônios podem causar doenças como o hipotireoidismo (excesso dos hormônios) e hipotireoidismo (escassez). Essas alterações podem causar quedas de cabelos, cansaço, insônia, suores, perda de peso e até dificuldade para emagrecer.

Cabe ao Endocrinologista analisar as taxas desses hormônios para indicar um tratamento para  reposição ou controle desses hormônios.

Acabar com o efeito sanfona

A grelina e a leptina são hormônios responsáveis pelo apetite e pela sensação de saciedade, respectivamente. Próximo ao horário das refeições, a grelina é disparada pelo organismo e, em excesso, pode fazer você exagerar na comida. Caso semelhante ocorre com a leptina que, quando desregulada, faz com que o organismo continue pedindo mais energia mesmo quando há gordura acumulada.

Dietas radicais acabam favorecendo o efeito sanfona, já que o corpo entra numa fase de fome e, consequentemente, reduz seu metabolismo, alterando as taxas de grelina e leptina.  O que faremos é, auxiliar com uma dieta balanceada.

Definir os músculos

Durante o sono, o GH, também conhecido como hormônio do crescimento, e a melatonina são liberados no organismo para auxiliar o metabolismo e transformar gordura em energia, esculpindo curvas e músculos.

Com esses hormônios em baixa, você pode até emagrecer, mas perderá massa magra ao invés de gordura. Por isso, é indicado dormir, pelo menos, seis horas por noite. A atividade física regular e uma alimentação correta também favorecem o bom funcionamento do organismo.

Cuidado com dietas restritivas para não inibir a produção de hormônios essenciais ao desenvolvimento. Equilíbrio é fundamental.

Dar adeus à barriguinha

O excesso de açúcar no organismo desencadeia a produção de insulina pelo pâncreas que, em excesso, pode sobrecarregar o órgão e desgastá-lo, ocasionando a diabetes. Mas o excesso desse hormônio no corpo também é o responsável pelo acúmulo de gordura abdominal, a famosa barriguinha.

Para evitar o excesso de insulina, o Endocrinologista pode receitar medicamentos que atuarão nesse controle. Você também deve se alimentar a cada três ou quatro horas, consumindo preferencialmente proteínas magras e carboidratos de baixo índice glicêmico, evitando os picos de açúcar.

Afinar o quadril e diminuir o inchaço

Os hormônios sexuais como a progesterona, o estrogênio e a testosterona também pode interferir no peso. A progesterona, quando desregulada, provoca o acúmulo de líquidos e, consequentemente, o inchaço. O estrogênio, quando baixo, provoca o acúmulo de gordura no abdômen, e, quando alto, fixa a gordura no quadril.

Já a testosterona, embora seja um hormônio masculino, também é necessário para as mulheres. Baixos níveis de testosterona provocam a queda do desejo sexual, além de dificultar a queima de gordura e o ganho de massa muscular.

Um Endocrinologista fará a dosagem dessas taxas hormonais, podendo inclusive aconselhar a troca da pílula anticoncepcional por outro método contraceptivo.

Indicar tratamentos com medicação adequada

Havendo alterações hormonais, o Endocrinologista pode indicar medicações para diminuir o apetite, acelerar o metabolismo e a absorção de gorduras, diminuir a retenção de líquidos ou controlar a tireoide, favorecendo o emagrecimento.

Tratar a obesidade

A obesidade é uma doença que traz uma série de implicações que podem limitar a qualidade de vida do pacientes como: diabetes, hipertensão e colesterol alto, por exemplo. Nesses casos, o especialista pode indicar também um acompanhamento nutricional para elaboração de uma dieta adequada.

Marque uma consulta

Na luta contra a balança, o Endocrinologista é o melhor aliado de quem não consegue emagrecer facilmente. Por isso, antes de começar uma dieta ou tentar fórmulas mirabolantes para perder os quilinhos extras, procure uma Clínica Médica de sua confiança e agende uma consulta com um especialista.

Mas antes, conta aqui pra gente o que você achou do nosso conteúdo? Compartilhe suas opiniões e experiências!

Até breve!
Equipe Médica Rede VIK

 

Whatsapp
Olá 👋
Podemos te ajudar?