Pensa num probleminha incômodo. Mas tão chato quanto o problema em si é falar sobre o assunto. É assim que muita gente trata as hemorroidas. Um tabu que acaba gerando vários mitos a respeito de uma condição clínica mais comum do que se pensa. E o mais importante, uma doença perfeitamente tratável, principalmente se descoberta no início.

No Brasil, cerca de 2 milhões de homens e mulheres sofrem de hemorroidas, que costuma ser mais comum entre adultos dos 40 aos 60 anos de idade. Há uma estimativa de que cerca de 5% da população em todo o mundo seja atingida por esse mal. O Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos vai além e aponta que 75% das pessoas tiveram, têm ou terão hemorroidas em algum momento de suas vidas. Então brincadeiras e piadas que constrangem os pacientes e evitam conversas mais claras sobre esse tema acabam contribuindo para todas as lendas e desinformação.

Mas o que são hemorroidas?

Apesar do nome popularmente se referir à doença em si, as hemorroidas na verdade são as veias da região anal. A chamada doença hemorroidária surge quando essas veias inflamam ou dilatam.

As hemorroidas podem ser internas, na parte interior do canal retal, ou externas, que aparecem ao redor do ânus, e se classificam em quatro graus diferente. As mais comuns, de grau I, não causam incômodo, pois não formam prolapsos, dilatações, e sequer são visíveis.

Nas de grau II, surgem prolapsos mais leves, que se manifestam durante a evacuação, mas retraem naturalmente logo depois. É quando os primeiros sintomas de dor, ardência e eventual sangramento leve são sentidos. Mesmo assim, costumam passar despercebidos, pois o incômodo não é tão grande. Muitas vezes a pessoa pode até confundir com qualquer outra coisa, achar que comeu algo muito gorduroso ou apimentado, por isso a evacuação foi dolorida.

Do grau III em diante, as hemorroidas são mais graves, causam prolapsos maiores e precisam de ajuda manual para retornar à forma natural. As hemorroidas de grau IV são caracterizadas por prolapsos mais visíveis e precisam de cirurgia para voltar ao normal.

cta_marque_uma_consulta

Quais são as causas? E os sintomas?

A lesão das hemorroidas pode acontecer por diversos fatores, sendo os mais comuns a diarreia, com evacuação frequente de fezes moles e a obstipação, popularmente conhecida como prisão de ventre, quando a evacuação exige um grande esforço. Esses dois problemas são associados, entre outros motivos, a uma alimentação desregrada, pobre em fibras, e a ingestão exagerada de comidas condimentadas.

Obesidade, tabagismo, falta de hidratação, a gestação e o parto, permanecer sentado por longos períodos e até a predisposição hereditária são outros fatores que contribuem para a lesão dos vasos e o aparecimento de hemorroidas.

Os sintomas mais comuns são a dor, ardência, coceira e sangramento anal, em intensidade que varia de acordo com o grau da doença. Prolapsos externos por muito tempo podem causar a trombose das hemorroidas, com a formação de coágulos que obstruem os vasos. Nos casos mais graves, pode acontecer a necrose das veias.

O que fazer em caso de hemorroidas?

Como já foi dito, a doença hemorroidária é mais comum do que muita gente acredita. Mas nem sempre sentir dores ao evacuar significa lesão nas hemorroidas, por isso ninguém deve se autodiagnosticar ou automedicar, e sim procurar um médico.

É aconselhável que, ao surgirem os primeiros sintomas, como dor, ardência ou coceira anal, durante a evacuação ou não, a pessoa marque uma consulta com seu Gastroenterologista, pois, independentemente da causa, as hemorroidas estão envolvidas com o sistema digestivo do paciente.

O Gastro vai examinar a situação e, constatada a doença, indicar qual o procedimento adequado, que pode ir de um simples repouso e mudança nos hábitos, sobretudo alimentares, a um tratamento mais conservador, com remédios, aplicação de pomadas e os banhos de assento, ou a eventual necessidade de intervenção médica, exigida somente em casos mais avançados.

Por isso é importante estar alerta e, aparecendo qualquer sintoma, você deve consultar um Gastro! Afinal de contas, com a saúde não se brinca!

Qualquer dúvida, estamos à disposição!

Até a próxima!

Equipe Médica Rede VIK

 

Whatsapp
Olá 👋
Podemos te ajudar?