Infectologista


A Infectologia é a especialidade médica que aborda as doenças infecciosas e parasitárias, sejam estas causadas por vírus, bactérias, fungos, protozoários e outros microorganismos.

O Médico Infectologista é o médico especialista no diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes acometidos por doenças infecciosas.

Atualmente as doenças infecciosas são responsáveis por grande parte das consultas ambulatoriais e em pronto-socorro.

No entanto, devido a carência de Médicos Infectologistas em algumas regiões e à falta de informação da população sobre o papel do Infectologista, a grande maioria desses pacientes são atendidos por médicos de outras especialidades.

Por ser um especialista acostumado a lidar com doenças localizadas nos mais variados órgãos do corpo, em geral, o infectologista também tem uma visão global do paciente.

O papel do Infectologista na clínica é atuar basicamente em 4 grandes áreas clinicas:

  • Diagnóstico e tratamento das doenças infecciosas e parasitarias;
  • Imunizações (vacinação);

  • Aconselhamento na prescrição de antimicrobianos (Uso correto de antibióticos);

  • Controle de Infecção Hospitalar.

Quando procurar um Infectologista

O desconhecimento sobre o campo de atuação do Médico Infectologista faz com que, na maioria das vezes, a população procure outras especialidades médicas quando acometida por doenças infecciosas.

Por exemplo, pacientes com suspeita de pneumonia, em geral, procuram um pneumologista, com hepatite viral um gastroenterologista, com cistite ou pielonefrite (infecção urinária na bexiga ou rim) um nefrologista ou urologista, com meningite um neurologista, com piodermite (infecção na pele) um dermatologista e assim por diante.

Como as infecções quase sempre acometem preferencialmente um determinado órgão, o paciente intuitivamente procura o especialista responsável pelo tratamento de doenças daquele órgão.

Ocorre que, embora muito destes profissionais estejam capacitados a resolver o problema, por outras vezes o especialista procurado é especialista no órgão e não no tratamento da infecção do órgão. Assim, não são raros os casos que chegam ao Infectologista encaminhados por outros médicos, com atraso diagnóstico ou somente quando já aparecerem complicações no tratamento ou pela falta deste.

A seguir, algumas situações nas quais é aconselhável a procurar um Infectologista: amigdalites, avaliação imunológica (baixa imunidade), catapora (Varicela), caxumba, Chikungunya, cistite, citomegalovirose, dengue, doenças de chagas, doenças sexualmente transmissíveis (DST), febre amarela, furunculose e furúnculo de repetição, hanseníase, hepatite A, B e C, herpes genital ou labial, herpes zoster (“cobreiro”), HIV (aids), HTLV, infecção de urina, infecção hospitalar, leptospirose, malária, meningite viral ou bacteriana, mononucleose (“doença do beijo”), onicomicose (fungo nas unhas), pielonefrite (infecção nos rins), piodermite (infecção na pele), pneumonias, sífilis, sinusite, tétano, toxoplasmose, tuberculose, zyka.

Aids

A aids é uma delas, causada pelo vírus da imunodeficiência humana é considerada doença crônica e ataca o sistema imunológico. Além da assistência dos médicos de outras áreas, o paciente pode e deve contar com o auxílio do Infectologista. É uma doença que ainda não tem cura, mas existem controles e tratamentos que se forem corretamente seguidos fazem com que a vida do paciente seja a mais próxima possível do normal. Quem tem HIV nem sempre tem aids, muitas pessoas com HIV passam a vida inteira sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, porém transmite o vírus a outras pessoas. O Ministério da Saúde divulgou dados de que mais de 600 mil brasileiros estejam infectados.

Hepatites

As hepatites são inflamações do fígado e classificam-se me hepatite A, hepatite B, hepatite C, hepatite D, hepatite E e hepatite G. As causas dessa doença podem ser por vírus, remédios, consumo de álcool e demais drogas, doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Os sintomas são cansaço, olhos e pele amarelados, urina escura etc.

As formas de contágio são por meio do contato com as fezes da pessoa infectada, sexo desprotegido e transmissão sanguínea pelo compartilhamento de agulhas infectadas, lâminas de barbear e alicates de unha. As mães ainda podem passar para os filhos durante o período gestacional, no prato ou pela amamentação. A transmissão pode ocorrer por meio de água e alimentos contaminados por fezes, sexo, contato com sangue contato etc.

Sífilis

A Sífilis é uma doença sexualmente transmissível. A bactéria Treponema pallidum faz várias vítimas. Os sinais da doença são feridas pequenas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas. As feridas não coçam e nem ardem. O tratamento da doença é medicamentoso.

Herpes

A herpes é uma infecção primária e divide-se em tipos:

A herpes tipo 1 é a que acomete o lábio ou a parte interna da boca, deixando a área afetada vermelha, com muito ardor e bolhas. O contágio acontece quando há contato frequente. Esse tipo de herpes pode contaminar a córnea.

A herpes tipo 2 atinge as genitálias masculinas e femininas, as regiões ficam vermelhas, com ardor e bolhas no local.

A herpes tipo 3 é causada por vírus, conhecido como catapora. Sua incidência é maior na infância e o contágio é realizado por meio do contato com pessoas infectadas. Por muitos anos, o vírus da varicela permanece no corpo humano em estado de latência, sendo que depois de algum tempo pode se reativar. Essa doença causa dor intensa e bolhas no corpo, principalmente incapacidade do membro atingido. A herpes zoster costuma aparecer em indivíduos a partir dos 60 anos.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a atuação dos Médicos Infectologistas, marque sua consulta pelo telefone (14) 3416.3030 e seja orientado por nosso Médico Infectologista em Jaú.

Estamos te aguardando!

Até breve,
Equipe Médica Rede VIK | Saúde Familiar

Marque sua Consulta